PMN debate sobre os novos rumos da sigla para as eleições de 2018

Lideranças do PMN se reuniram na última sexta-feira, 28 – Foto: Astorige Carneiro/ContilNet

Com participação da presidente Valdete Souza e sua equipe, o Partido da Mobilização Nacional (PMN) no Acre realizou na sexta-feira (28) uma reunião executiva na sede do partido. O principal objetivo do encontro foi a definição das coligações e dos pré-candidatos do partido para as eleições de 2018.

De acordo com a presidente, o PMN, fundado em 1984, é um partido de centro-esquerda, definido por ela como uma terceira via entre a direita e a esquerda. “Esperamos que, com as decisões certas e a integridade de nossa equipe, possamos eleger pelo menos um deputado federal e dois deputados estaduais”, disse Valdete.

Rodrigo Oliveira, vice-presidente do partido no Acre há um ano, acredita que os olhares para o agronegócio no Estado podem render e expandir a economia acreana. “Grãos, bovinocultura… O setor do agronegócio precisa de investimentos, e não de dificuldades, como as que vem sendo impostas aqui no Acre. O PMN acredita nesse ramo e pretende investir para gerar os resultados esperados”, explicou Rodrigo.

Valdete também destacou que o maior interesse da equipe é contribuir diretamente para o povo acreano, sem usar partidos, coligações nem pessoas para conseguir o que quer. “O senador Sérgio Petecão, eleito pelo PMN, levou outros candidatos acreanos – três deputados estaduais, um deputado federal e um senador [no caso, o Petecão] – para a criação do Partido Social Democrático (PSD) em 2011”, disse Valdete.

Agência Contilnet