Ninguém se ‘Kinpara’

Foto: Reprodução

Depois de receber convite para ingressar no MDB e, assim, poder disputar a prefeitura de Rio Branco pela sigla, o ex-reitor da Ufac (Universidade Federal do Acre) Minoru Kinpara tem sido sondado por um grupo de partidos nanicos que o querem consigo para o mesmo fim. Disso se pode concluir que, há mais de um ano das eleições municipais de 20, ninguém se compara – ou se equipara – a Minoru.

Encontro marcado

O grupo de nanicos, dissidentes da Frente Popular do Acre (FPA), é formado por PV, Pros, Podemos, PRB e PSOL. A reunião com Kinpara (que disputou o Senado da República pela Rede Sustentabilidade de Marina Silva) deverá acontecer ainda nesta sexta-feira, 8. Nas eleições de outubro do ano passado, apesar de ter ficado em quarto lugar, o ex-reitor recebeu mais de 100 mil votos.

Em secreto

O local do encontro não divulgado pelos dirigentes partidários – que a propósito se reuniram antes do Carnaval para selar o rompimento com a FPA – grupamento políticos que por 20 anos foi liderado pelo PT.

Vazou

A reunião também deveria ocorrer em segredo, mas acabou sendo descoberta por um site local e confirmada pela esposa do ex-reitor, Degmar Kinpara. Consultados pelo repórter do portal responsável pelo furo, os dirigentes do Pros e Podemos, respectivamente Fernando Melo e Francimar Asfury, alegaram nada poder dizer sem o consentimento dos demais dirigentes partidários.

Ressalva

Ocorre que os nanicos mencionados aí acima demonstram interesse em compor com o atual governo de Gladson Cameli (PP), o que pressupõe o desejo por deles de ocupar espaço na administração estadual – como sempre fizeram enquanto o PT comandou o Estado.

Muito cuidado nessa hora

Disso se pode concluir que a tratativa com Minoru Kinpara pode resultar de uma estratégia simples, ainda que eficaz: tê-lo no grupo como garantia de sucesso numa eventual barganha por espaço na gestão de Cameli.

Similar

Esse raciocínio é válido também no caso do MDB, cujo presidente regional, o deputado federal Flaviano Melo, tem sido muito criticado pela militância por não ter sido mais proativo me relação à divisão do bolo do poder.

Alerta máximo

Tanto num caso como no outro, Minoru Kinpara precisa levar em conta que pode estar apenas servindo a interesses alheios à promessa de que virá a ser candidato à prefeitura da capital. Afinal, como diz a velha máxima, política não coisa para amadores…

Garantia

O governador Cameli obteve dos representantes do governo federal, ontem, 7, a garantia de que as operações de crédito relativas ao Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), firmadas com a Caixa Econômica Federal (CEF) pelos governos passados, será revista. Isso significa que o Acre poderá ser aliviado no que tange ao pagamento dos altos juros fixados nas transações.

Origem da promessa

Quem empenhou a palavra nesse sentido a Gladson, que viajou a Brasília e compareceu ao encontro acompanhado do representante do Estado no Distrito Federal, Ricardo França, e do procurador-geral do Acre, Armando Melo, foi a subsecretária do Tesouro Nacional, Priscila Santana.

Entenda o que é

Segundo a assessoria de imprensa do governo estadual, o Finisa é uma linha de financiamento lançado pela Caixa em 2012, a fim de facilitar e ampliar a concessão de crédito para obras de saneamento ambiental, transporte, logística e energia.

Reunião anterior

O governador já havia se reunido há alguns dias com técnicos da Caixa Econômica Federal para que juntos estudassem o que poderia ser feito para melhorar a situação dos empréstimos, com relação aos altos juros fixados nas operações.

Disposição

Segundo a assessoria do governo, o superintendente executivo para área governamental Centro Oeste-Norte, da Caixa Econômica Federal, João Régis Teófilo Magalhães, manteve, durante a reunião de ontem, a disposição de renegociar as condições dos empréstimos, que totalizam R$ 155 milhões.

Projeto

O vereador de Rio Branco, João Marcos Luz (MDB), apresentou ontem, 7, projeto que isenta os veículos da imprensa de pagarem pelo direito de estacionar nos locais denominados de zona azul.

Exceções

“A permissão de livre estacionamento dos veículos de imprensa do município de Rio Branco poderá ser cassada se constatado o seu uso indevido. Este uso inadequado inclui estacionar o veículo em fila dupla e em vagas destinadas aos idosos e pessoas com deficiência”, ressalvou João Marcos ao explicitar a proposta.

Jogo de cintura

Dizendo-se ‘grande admirador da imprensa acreana’, o emedebista, no fundo, está tentando agradar os jornalistas com seu projeto. O rapaz não é nada bobo.

Doente mental

Foto: Reprodução

O site G1 divulgou ontem que os peritos indicados pela Justiça Federal para avaliar as condições mentais de Adélio Bispo, o esfaqueador do presidente Jair Bolsonaro, quando este ainda era candidato, atestaram, em laudo, que o criminoso sofre de doença mental.

Possibilidade

“O documento pode levar Adélio a ser considerado inimputável perante a Justiça Criminal”, assegurou em outra matéria o jornal Estadão.

Remember

Adélio está preso desde o dia 6 de setembro de 2018, depois de golpear com uma faca o abdômen de Bolsonaro, em uma rua da cidade de Juiz de Fora, interior de Minas Gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *