MPAC oferece denúncia contra 138 pessoas por organização criminosa

Segundo a promotora de Justiça Marcela Cristina Osório, coordenadora  do Gaeco, os envolvidos foram denunciados por organização criminosa - Foto: Ascom MPAC
Segundo a promotora de Justiça Marcela Cristina Osório, coordenadora
do Gaeco, os envolvidos foram denunciados por organização criminosa – Foto: Ascom MPAC

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ofereceu denúncia contra 138 pessoas supostamente integrantes da organização criminosa denominada Primeiro Comando da Capital (PCC). Elas foram presas no início deste mês durante a Operação Sintonia, deflagrada pela Polícia Civil, com o apoio do Gaeco.

Segundo a promotora de Justiça Marcela Cristina Osório, coordenadora do Gaeco, os envolvidos foram denunciados por organização criminosa.

Na madrugada do dia 1º, a operação foi executada simultaneamente no Acre e em outros estados. “As prisões foram realizadas em todo o Estado do Acre, bem como nos estados do Mato Grosso e Pará”, acrescenta a promotora.

A investigação, que vinha sendo feita há mais de um ano, pela Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Decco), com o apoio do Gaeco, mostrou os denunciados utilizavam equipamentos de videomonitoramento para acompanhar a movimentação de pessoas e até mesmo da polícia nas ruas e cometer crimes.

Na ocasião, a polícia cumpriu 169 medidas judiciais, das quais, 138 consistiam em mandados de prisão e 31 em mandados de busca e apreensão. A ação resultou, ainda, na lavratura de flagrantes, com apreensão de armas, drogas, veículos utilizados na prática de crimes e equipamentos de videomonitoramento.

Ascom MPAC