Luiz Gonzaga vai compor núcleo duro do governo na Assembleia Legislativa

Tucano é cotado para ocupar o cargo de 1º secretário da Mesa Diretora – Foto: Agência Aleac

O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) é uma das vozes mais barulhentas na bancada de oposição aos governos do PT desde que seu partido rompeu com a Frente Popular do Acre, em 2002, após a morte de seu líder e vice-governador Edson Cadaxo.

A partir de 2019, porém, Gonzaguinha, como é conhecido, vai experimentar o outro lado, atuando na defesa do governo de Gladson Cameli (PP) que tem o deputado Major Rocha (PSDB) como vice-governador.

Ele é cotado para ocupar o cargo de 1º secretário da Mesa Diretora, compondo, junto com os deputados Nicolau Júnior (PP) e Gehlen Diniz (PP) a tropa de choque do governador eleito, Gladson Cameli, que vem a ser primo de sua esposa, Rosa Maria Messias Alves.

Gonzaguinha não terá dificuldades para atuar na secretaria da Mesa Diretora. Formado em administração de Empresas e funcionário de carreira da Receita Federal, Luiz Gonzaga Alves Filho, de 59 anos, começou a carreira política por inspiração de Edson Cadaxo, sendo eleito vereador de Cruzeiro do Sul em 1992 pelo PDC. Foi reeleito em 1996 e, em 1998 trocou a Câmara pela Assembleia Legislativa do Acre, já pelo PSDB de seu guru político, Edson Cadaxo que era vice-governador na chapa de Jorge Viana em seu primeiro mandato.

Desde 1998, Gonzaguinha só ficou fora da Aleac na legislatura 2011/2014, tendo perdido as eleições de 2010. Em 2019 ele estará exercendo seu 5º mandato: venceu as eleições de 1998 (2.346 votos), 2002 (3.051 votos); 2006 (3.604 votos); 2014 (3.833 votos) e 2018 (4.369 votos).

Nascido e criado no Seringal Valparaíso, no Vale do Juruá, Gonzaguinha saiu do Exército em 1979 e se mudou para Rio Branco visando prosseguir os estudos. Neste período, foi hospedado na casa do futuro desembargador Arquilau de Castro Melo, que o incentivou a dedicar-se aos estudos e a preparar-se para concursos públicos.

Há 37 anos casou-se com a dona de casa Rosa Maria Messias Alves, com quem tem cinco filhos – dois médicos, um odontólogo, um estudante de medicina e um secundarista – e três netos. Do estilo caseiro, é extremamente dedicado à família. Tanto, que a esposa Rosa Maria, que é prima do governador eleito e sobrinha do ex-governador Orleir Cameli, nunca aceitou propostas de empregos para dedicar-se exclusivamente à educação dos filhos.

Sua atuação parlamentar privilegia temas econômicos, focando a tributação e a dívida do Estado e propondo alternativas de desenvolvimento. Nos últimos anos tem feito repetidas denúncias de má aplicação dos recursos destinados às obras de recuperação da rodovia BR-364 até Cruzeiro do Sul e sobre a qualidade das obras de pavimentação Ruas do Povo.

Quem o conhece na intimidade do lar, sabe de sua predileção pelos peixes, pela boa leitura, pela meditação e pela espiritualidade, tendo sido um dos fundadores da primeira igreja do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal do Núcleo João Lango Moura.

Para Gonzaguinha, as pessoas podem melhorar a cada dia. “Gosto de pessoas que dizem o que pensam, mas gosto mais das pessoas que fazem o que dizem e que pensam o que fazem”, costuma dizer ele.

Dora Monteiro