Homem se acorrenta na frente de hospital para cobrar cateterismo no pai internado há 10 dias

Francisco Cavalcante se acorrentou em frente ao Huerb para pedir que cateterismo do pai seja feito – Fotos: Alcinete Gadelha/G1

O autônomo Francisco Cavalcante de Souza, de 48 anos, em um ato de desespero, se acorrentou na manhã desta quarta-feira (6) em frente ao Hospital de Urgência de Emergência de Rio Branco (Huerb).

Ele pede que o procedimento de cateterismo do pai, o idoso Luiz Maia de Souza, de 74 anos, seja feito e alega que o quadro de saúde dele se agrava enquanto espera.

O diretor do Huerb, Welber de Lima, diz que o pagamento da empresa Hemocardio, que faz o procedimento está atrasado há sete meses e a Secretaria de Saúde está negociando para que os pacientes sejam atendidos em até dois dias.

Conforme Souza falou ao G1, o pai está no leito 17, na emergência do hospital há pelo menos dez dias e nesse período já adquiriu uma pneumonia, o que teria agravado o quadro do idoso, e não há previsão de quando o procedimento vai ser feito.

“O cardiologista mandou ele para o PS e nós já estamos há mais de dez dias aqui. Ele passou quatro dias em uma cadeira e já adquiriu uma pneumonia e vão só protelando. A informação é que a espera pode durar um mês, dois meses e até um ano”, lamenta.

Além do pai do autônomo, mais dez pessoas estão na mesma situação esperando para fazer o cateterismo, segundo confirmou o diretor do Huerb. Souza lamenta a situação e teme que o pai não resista sem fazer o procedimento.

Diretor do Huerb diz que secretário negocia para que serviço retorne

“Ou ele faz a cirurgia ou ele morre. Meu pai trabalhou 72 anos, ele é contribuinte e tem direitos para passar por essa situação. Quando meu pai chegou aqui era um simples procedimento para fazer e ir para casa em 48 horas. Mas agora o quadro dele se agravou”, reclama.

Negociação

A empresa que presta serviço para o Estado não recebe há sete meses. Por causa disso, o procedimento foi suspenso em dezembro de 2018. Com a troca de governo, foi reaberto, mas com a revisão que o governo faz em relação aos contratos de gestão anterior, o serviço tornou a ser suspenso.

“O secretário está renegociando os contratos para poder entrar no acordo para pagar, para solucionar e ter a liberação de atendimentos”, informou Lima.

O diretor do Huerb disse ainda que conversou com dono da empresa e disse que vai ter uma solução. Além disso, afirmou que o secretário está trabalhando para que até o final da semana, em um dia ou dois, o problema seja solucionado.

Lima ainda culpa o governo anterior e diz que recebeu uma herança que não se dá a ninguém. “Porque foi essa gestão acabada, que o governo acabou e destruiu e isso está refletindo agora”, concluiu.

Portal G1/AC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *