Familiares de acusado por homicídio de jovens no Taquari fazem protesto em frente à DIC

Por Dell Pinheiro – Familiares e amigos de Clenilton Araújo de Souza, 26 anos, um dos suspeitos de participação nos assassinatos de Amanda Gomes de Souza, 14 anos, Isabele Silva Lima, de 13 anos e Vitor Viera de Lima, de 18 anos, realizaram um protesto em frente à sede da Delegacia de Investigação Criminal (DIC), em Rio Branco, pedido que a Justiça solte o acusado. Eles alegam que não existem provas no inquérito policial que comprovem a participação dele nos homicídios. Souza, que está preso há dois meses, também é acusado por outros crimes.

Eles alegam que não existem provas no inquérito policial que comprovem a participação dele nos homicídios – Foto: Regiclay Saady

“No dia que ocorreu o homicídio estávamos em um show no Parque de Exposições. Chegamos em casa bem tarde. No dia seguinte ficamos sabendo do assassinato dos adolescentes, mas não sabíamos que moravam no Taquari, mesmo local onde residimos. Queremos uma resposta verdadeira, não queremos que acusem um inocente. Acredito na inocência do Clenilton, e vamos conseguir prova isso”, disse Ana Paula Barbosa de Souza, esposa do acusado.

Ela comentou que entende o sofrimento das famílias, mas pede que a polícia prenda os verdadeiros culpados do crime. “Também sou mãe e sei o que elas estão passando. Os ‘monstros’ que fizeram isso com os jovens merecem pagar por todo mau. Os verdadeiros culpados devem ser presos, para que mais famílias não sofram, assim como a minha. As pessoas que convivem com a gente sabem que o meu esposo jamais teria feito uma maldade dessa. Quero prova a inocência dele, nem que seja a última coisa que eu faça na minha vida. Meu marido não merece passar por isso”, frisou Ana Paula.