Duas vidas

Lorena de Cáritas Dantas Tuma

Por que partiu e dividiu
A vida em duas metades,
Minha infância partida?
Desapercebida,
Sem ritual de passagem,
Esvaiu-se de quem
Deixou o rosto vácuo
Sem imagem.

Partiu em duas a vida,
entre consciência e inconsciência,
E tal vida dividida,
Contaminada pela adulta mente,
Adulterada,
Regressará jamais à inocência.

Que saudades da infância partida.
Era bucólica, aquarela,
Destarte, indiferença, conflito, querela.
Sussurra-me ela
No crepúsculo da velhice,
Afogando-me na tristeza que inunda.
O quanto era bela,
E que já não será nunca!

Arquiteta e urbanista