Deu zebra

Foto: Odair leal

O conselho diretor do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran) emitiu nota no último sábado, 9, na qual explica que “por determinação legal” e atendendo à determinação do governador Gladson Cameli, “a responsabilidade pela execução da fiscalização de trânsito em vias terrestres é do município (art. 24, inciso VI do Código de Trânsito Brasileiro)”.

Desligamento gradual

“Em razão disso, equipe técnica do Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN/Acre está elaborando um cronograma com a finalidade de estabelecer o desligamento gradual desses equipamentos de fiscalização à medida que os serviços forem absorvidos pela RBTrans”, diz o texto.

Boi na linha

Ocorre que a versão dada pelo Detran-AC destoa da afirmação de Cameli, segundo a qual ele teria determinado a ‘extinção’ dos equipamentos devido ao excesso de multas aplicadas nos governos anteriores.

Ordem

“A população às vezes não tem nem dinheiro para comprar um medicamento e fica pagando multas desnecessárias. Multas que muitas vezes os condutores não estão cometendo excessos”, postou Cameli em sua página oficial no Facebook.

Como é que é?

Mas pelo que afirma o Detran na nota, fica-se sabendo que os radares serão desligados para que sejam ‘assumidos’ pelo RBTrans, conforme o leitor viu anteriormente.

Boi na linha – de novo!

O segundo conflito entre o que determinou Gladson e sustentou o conselho diretor do órgão diz respeito à recomendação do primeiro para que fosse encaminhado um parecer para a Procuradoria-Geral do Estado determinando “o cancelamento das multas eletrônicas”. No texto enviado aos jornais pelo Detran-AC, se pode ler que “as multas geradas anteriormente em decorrência de infrações cometidas nos pontos de fiscalização eletrônica não serão canceladas”.

Marcação cerrada

O ex-porta-voz do governador Tião Viana (PT), Leonildo Rosas, fez na semana que passou duas postagens na rede social Facebook sobre a nomeação do ex-presidente da Assembleia Legislativa do Acre, Ney Amorim, como secretário extraordinário no governo de Gladson Cameli.

Genérico

Na primeira delas, Rosas escreveu o seguinte: “Passo aqui para lembrar que o guru político do ex-deputado Ney Amorim foi a vida inteira o professor Carioca Nepomuceno. Ao fazer a nomeação de Amorim, o rapaz estará levando um articulador genérico. O original permanecerá onde sempre esteve. Pois tem lado na história. Medicamento genérico nem sempre faz o mesmo efeito do original”.

Canetada

Na segunda postagem, feita logo após a confirmação de Ney Amorim no governo de Cameli, Leo Rosas ironizou: “O rapaz deu mais uma canetada para ‘despetizar’ o seu governo de vez. Nomeou o ex-deputados Ney Amorim para secretário Extraordinários e Estratégicos”.

História

Completou Rosas: “Amorim era um dos principais pupilos do professor Carioca Nepomuceno. O problema de quem trai é que não é respeitado nem por quem traiu e muito menos por quem vai servir. Os livros da história homenageiam Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. São inclementes com Joaquim Silvério dos Reis”.

Mais transparência

Foto: Agência Aleac

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Junior (Progressistas), quer maior transparência no Poder Legislativo estadual. Sobre esse assunto ele falou com alguns jornalistas na semana que passou.

Portal

Uma das primeiras medidas do novo presidente da Aleac será ter um Portal de Transparência com todos os atos praticados pela Mesa Diretora da Casa.

Economia

As medidas adotadas por Nicolau Júnior também diminuíram o tamanho da Assembleia, o que haverá de afinar, ali, o discurso do novo governo do aliado e contraparente Gladson Cameli.

Conversa das boas

A vice-presidente da Câmara de Vereadores de Rio Branco, Lene Petecão (PSD) intermediou uma conversa entre o presidente da Casa, vereador Antônio Morais (PT) e o senador Sérgio Petecão (PSD), para tratar de parcerias com o novo primeiro-secretário do Senado Federal.

Pedido atendido

Lene e Morais pediram, e Petecão atendeu: o senador anunciou que fará a destinação de emenda parlamentar para ajudar na realização da obra da nova sede do Parlamento Municipal de Rio Branco.

Comemoração

Para o vereador petista Antônio Morais, a notícia foi motivo de “muita comemoração”.

Gana por trabalho…

O site G1 informou que na primeira semana de trabalho da Câmara na atual legislatura os 513 deputados eleitos e reeleitos em outubro de 2018 apresentaram mais de 600 projetos.

Aguenta essa, leitor!

Entre as propostas estão uma nova versão do Escola Sem Partido, uma iniciativa que transforma a Bíblia em patrimônio imaterial e outra para implantar microchip em animais domésticos. É mesmo de lascar, não é verdade?