Cruzeiro do Sul ganha primeiro shopping; empreendimento gera mais de 500 empregos

Empreendimento reúne 65 pontos comerciais que vão abrigar todos os segmentos comerciais – Foto: Mazinho Rogério/G1

Depois de mais 10 anos em construção, o primeiro shopping de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, será inaugurado neste sábado (15). O empreendimento é de um empresário da própria cidade e vai gerar mais de 500 empregos diretos.

O Shopping Copacabana fica no Centro da cidade, na avenida que leva o mesmo nome do mais novo empreendimento comercial de Cruzeiro do Sul, de propriedade do empresário Assem Cameli. A obra começou em 2008 e só foi concluída este ano. O prédio tem 65 pontos comerciais que vão abrigar todos os segmentos comerciais.

Além de restaurantes, há espaços para lojas de confecções, bijuterias, calçados, eletrodomésticos, papelaria, e outros produtos, o shopping conta com uma brinquedoteca, supermercado e outros empreendimentos.

De acordo com Cameli, a maioria dos empreendedores são do próprio município, mas já existiam empresários de outras regiões que estão instalando diversas franquias que devem funcionar logo após a inauguração. No prédio também será montado um cinema.

“Vamos abrir no sábado uma estrutura de 40 lojas e o supermercado, mas também temos as franquias de diversos produtos que já estão se instalando e até fevereiro devem estar todas funcionando e estaremos como nossa capacidade total”, garantiu.

Para escolher os 500 servidores que vão trabalhar diretamente no shopping, foi contratada uma empresa para realizar um concurso que contou com a participação de mais de 4 mil candidatos. Parte dos aprovados já foi convocada e o restante ainda será chamado.

A maioria dos lojistas que vai se instalar no novo centro comercial da segunda maior cidade do Acre já é comerciante e aposta no espaço como uma alternativa de ampliar seus negócios e fugir da crise.

“Em Cruzeiro do Sul ainda não tínhamos um empreendimento desse porte e a expectativa de todo lojista é que melhore bastante o comércio nosso que decaiu bastante com essa crise brasileira”, disse o pequeno empresário Vicente Silva, que montou uma filial de sua loja de confecções no shopping e teve que contratar mais três funcionários.

Portal G1/AC