Crossfit: a febre do momento

Fotos: Regiclay Saady

Acreanos ganham novo espaço para treinamento em Rio Branco

O estilo de vida fitness vem conquistando cada vez mais os brasileiros e no Acre não é diferente. O modelo tradicional de treinamentos, a exemplo da musculação, vem perdendo espaço para a modalidade Crossfit, que explodiu entre os fãs de academias e entre aqueles que buscam um corpo mais definido.

Com inspiração no treinamento militar, o Crossfit que arrasta novos adeptos à rodo para os boxes de treinamentos é uma mistura de exercícios aeróbicos, ginásticos e de força, cujo objetivo é melhorar o condicionamento físico de pessoas de diferentes faixas etárias, desde as mais sedentárias a atletas profissionais.

Moda ou não, os treinamentos funcionais estão em alta por aqui. Os amantes da boa forma e crossfiteiros de plantão contam agora com um novo espaço exclusivo para essa prática em Rio Branco, que combina levantamento de peso, alta intensidade, variação constante e movimentos funcionais.

Inaugurado no último final de semana, o box de Crossfit, 100 Limites, localizado na Rua do Jasmim, Jardim Tropical, tem a direção administrativa do médico otorrinolaringologista, Santiago Júnior e a supervisão técnica do coach Alcimar Martins, profissional da área há mais de cinco anos.

O local impressiona pela estrutura e pela qualidade dos equipamentos, entre eles barras olímpicas, anilhas, ketlebell, bike e remo –, todos importados, oferecendo o que há de melhor para os praticantes de crossfit. O espaço conta com 300 m², estacionamento e vestiários modernos e aconchegantes.

Com os cuidados que exige a prática, o médico explica que o que se valoriza com essa modalidade é, portanto, a qualidade do movimento, e não somente ganho muscular e queima calórica. Um alerta para os constantes incidentes que ocorrem em muitas academias funcionais e box de crossfit, já que muitos adeptos acabam se tornando pacientes lesionados das clínicas de reabilitação.

“Nossa maior preocupação no box é para o aluno não se lesionar. Assim como em outras atividades, o risco dos alunos sofrerem uma lesão existe, mas pode ser prevenido. Por isso respeitamos a técnica de cada exercício. O cross tem acontecido lesões porque existem muitos boxes que não são crossfit, que não são filiados. Estão se abrindo muitos boxes dizendo que é crossfit, mas não é. São professores que não tem formação em crossfit, que não tem responsabilidade para com o aluno. Aqui não. Nosso box tem profissionais responsáveis e preocupados com o aluno, por isso mantemos dois coach por hora para o aluno ser bem assistido e não correr o risco de se lesionar”, observa.

Músculos e coração

Amante do Crossfit, motivo pelo qual o fez investir nesse negócio de sucesso mundial, Santiago é categórico quanto à necessidade de uma boa avaliação antes de se iniciar qualquer atividade física, e no caso do crossfit, alerta para a carga de treinamento que exige superação pelo praticante. Como forma de garantir o bem-estar de seus alunos, o médico está fechando parceria com uma clínica de cardiologia.

Atletas utilizam o peso do próprio corpo e exercícios olímpicos no treinamento

“As aulas no box priorizam a saúde. Por isso estamos fechando algumas parcerias, inclusive com uma clínica de cardiologia para a realização de ergoespirometria, eletro, eco e exames de sangue para que o aluno tenha uma assistência e fique saudável. Não abrimos esse espaço para simplesmente cobrar mensalidades. Decidi abrir um box de crossfit porque sou apaixonado pela modalidade e, por ser médico, quero o melhor para meus alunos e que eles estejam comigo o ano inteiro”, reforça.

Santiago Júnior lembra que o programa de treinamento em grupo até pode ser o mesmo, mas a intensidade sempre será individual. “Embora seja uma aula coletiva, em grupo, é preciso destacar que a evolução é gradativa e individual. O grupo trabalha como uma família, incentivando uns aos outros, respeitando o tempo de cada um. O coach atua para dar todo o suporte e orientação, aumentando as cargas conforme o feedback dos alunos”, pontua.

Sem medo

Para quem nunca praticou atividade física de maneira sistemática, o coach Alcimar Martins, recomenda uma atividade segura e eficiente, trabalhando os exercícios sempre dentro das possibilidades individuais, do nível de condicionamento e, claro, respeitando suas limitações.

Exercícios apresentam alta intensidade, com atividades explosivas, pesadas e variadas

“Acontece que muitas pessoas que não conhecem a prática acabam rotulando o crossfit de vilão. O que não é verdade. Ao contrário do que muitos pensam, todos estão aptos ao Crossfit. O que se precisa entender é que o treinamento é que é adaptado ao aluno, jamais o contrário. A intensidade dos exercícios é adaptada de acordo com as necessidades de cada um. Por isso trouxemos as melhores técnicas do crossfit, para que os praticantes tenham segurança ao realizarem os exercícios, que mesmo como superação, eles aconteçam de forma saudável para proporcionar melhor qualidade de vida”, ressalta o treinador.

E para quem tem medo de se machucar com um treino tão intenso, Martins explica que antes de iniciar os treinos é feito uma anamnese detalhada com o aluno e que a partir dessa conversa o treinador individualiza os exercícios. “O treinamento é individualizado porque é adaptado a condição física da pessoa. Aqui no 100 Limites trabalhamos com dois formatos de aula experimental. Uma voltada para quem nunca praticou a modalidade, outra para quem já faz treino funcional e crossfit”, detalha.

Crossfit para elas

Que as mulheres já conquistaram seu lugar ao sol isso já não é mais nem novidade. Hoje, elas ocupam cada vez mais espaços profissionais que antes eram considerados masculinos. Dentro das academias ganharam cadeira cativa, e no Crossfit, a força que muitos “bombadões” estão longe de conseguir.

No Acre, o Crossfit despertou grande interesse na mulherada que vem fazendo bonito, inclusive tendo bons resultados em torneios da modalidade no país. Aos 27 anos de idade, a administradora Ingrid Damasceno conta que procurou o crossfit quando esse ainda era uma atividade pouco conhecida na cidade.

“A principio minha intenção era apenas perder alguns quilos extras. Iniciei o esporte e nunca mais parei. Hoje a perda de peso já não é mais um problema, já que meus objetivos estéticos corporal são supridos apenas com essa atividade. O crossfit é algo mais completo. A sensação de empoderamento aumenta quando você se torna forte e percebe que é capaz de fazer coisas que nunca imaginaria fazer. É uma sensação de superação e competição diária consigo mesmo. O crossfit nunca foi exclusividade dos homens, prova disso é o grande número de mulheres no box”, comenta.

Origem do Crossfit

O boom do crossfit ecoa entre as pessoas que sempre foram fãs do exercício físico de intensidade. Essa modalidade, no entanto, é relativamente nova. O crossfit surgiu nos anos 2000, quando foi criado pelo ex-ginasta Greg Glassman.

Insatisfeito com a rotina estabelecida pelas academias e com os resultados para o seu caso, começou a desenvolver séries específicas de exercícios combinados, o que hoje conhecemos como o crossfit.

A influência de Greg Glassman foi muito importante até mesmo para o nome da modalidade. Foi ele quem criou a marca Crossfit inc., empresa que agora disponibiliza cursos e diversas informações sobre a prática desse exercício.

Qual a diferença entre crossfit e treino funcional?

É comum que algumas pessoas confundam esses dois tipos de atividade física, pois o crossfit é uma modalidade funcional. Contudo, apesar do crossfit ser um treino funcional, nem todo treino funcional é crossfit.

Para que um treino possa ser considerado crossfit ele deve ser muito mais do que funcional. É preciso ser um treino de alta intensidade e ter uma variação constante de exercícios.

Objetivo principal?

O principal objetivo do crossfit, assim como em outras atividades físicas, é a busca por um corpo mais saudável e a maior qualidade de vida. Ele serve para diversas finalidades e quem determina isso é o próprio aluno.

Como começar?

O crossfit pode ser praticado por qualquer tipo de pessoa, mas antes de iniciarem os treinos, é recomendado que passassem por uma avaliação médica e de um profissional de educação física.

Lane Valle