Contagem regressiva

Foto: Iryá Rodrigues G1

A paciência do eleitorado do governador Gladson Cameli (PP) está ficando cada vez mais curta. E os deputados da base de apoio a Cameli na Assembleia Legislativa mostram que não estão dispostos a arcar com o prejuízo eleitoral decorrente da gestão do aliado.

Mordeu e assoprou

Na sessão desta terça-feira (12), na Aleac, a deputada Antonia Sales (MDB) criticou a demora no atendimento aos pacientes internados no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), que se encontram na fila de espera para procedimentos cirúrgicos como cateterismo cardíaco, por exemplo. Segundo ela, as dívidas deixadas pelo ex-governador Tião Viana (PT) no setor de saúde têm dificultado ainda mais o atendimento nos hospitais.

Falta gestão

Antonia Sales adiantou que a saúde pública será uma das suas bandeiras de luta na Casa. “Não é possível que por falta de gestão inúmeros pacientes continuem mendigando na fila de hospitais por atendimento médico”, disse ela.

Falta de humanidade

Segundo a deputada emedebista, há uma fila enorme de pacientes à espera de um cateterismo e essas pessoas estariam ‘morrendo à mingua’. “Isso é um absurdo, é muita falta de humanidade”, disse.

Dor em família

Ela lamentou ainda o falecimento de um primo do marido Vagner Sales. De acordo com Antonia Sales, o paciente deu entrada no último dia 6 de março no Huerb, após ter sofrido um ataque cardíaco. “A mãe dele me ligou desesperada de Porto Walter, dizendo que o filho estava aguardando na fila para fazer um cateterismo e não resistiu. Eu o visitei ontem, e hoje recebi a notícia de que ele havia falecido. Isso não pode continuar acontecendo minha gente, até quando as pessoas vão continuar morrendo na fila por falta de atendimento?”, questionou a parlamentar do MDB.

Prioridade

A emedebista frisou que a saúde precisa ser prioridade em qualquer governo. “Esse paciente faleceu por falta de R$ 7 mil, o cateterismo não pode ser realizado por este motivo, dívida essa que o antigo governador não pagou. Gente, que falta de sensibilidade é essa? Não podemos ficar parados vendo esses absurdos, saúde pública tem que ser prioridade. O cidadão tem direito a isso”, concluiu Antonia Sales.

Pauta

A Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul realiza nesta quinta-feira, 14, uma audiência pública para tratar sobre a taxa cobrada pela prefeitura sobre a coleta do lixo domiciliar.

Desproporção

Segundo o vereador Elenildo da Pesca (PP), autor do requerimento, a prefeitura cruzeirense cobra atualmente R$ 25,90 por imóvel residencial, enquanto o valor cobrado na capital acreana é, em média, de R$ 5,58,

Sem distinção

Segundo Elenildo, o projeto aprovado na Câmara por iniciativa do prefeito visava a cobrança apenas dos imóveis domiciliares, mas empresas do município também vinham sendo instadas pela prefeitura – atualmente governada por Ilderlei Cordeiro (PP) – a pagar a taxa.

Ação judicial

Alguns empresários da cidade já haviam anunciado a intenção de recorrer contra a cobrança ilegal, via ação judicial contra o município. Segundo informações, eles pretendem pedir ressarcimento em dobro dos valores pagos até agora.

Lixo pra todo lado

Foto: Cedida

Neste final de semana, Elenildo tirou fotografias da cidade, as quais mostram que o serviço de coleta de lixo – a cargo da ONG Centro Brasileiro Para Conservação da Natureza (CBCN) – deixa a desejar.

Vice-líder do governo

O senador Sérgio Petecão (PSD) esteve ontem, 12, no Palácio do Planalto, onde foi apresentado oficialmente como vice-líder do governo federal no Congresso Nacional.

Linha de frente

A indicação, feita pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), coloca o senador acreano na linha de frente das negociações de interesse do Planalto junto ao Parlamento.

Motivo de orgulho

“A indicação de meu nome é motivo de muito orgulho, e pretendo fazer jus a esta confiança sempre olhando para os interesses do Brasil e do nosso Acre”, diz Petecão.

Publicação

O decreto com a nomeação de Petecão e de outros seis congressistas foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), na edição de ontem.

Sacramentado

A decisão do governador Gladson Cameli de não se envolver nas eleições municipais para a prefeitura de Cruzeiro do Sul, no ano que vem, tem mais a ver com a precaução de não se desgastar apoiando Ilderlei Cordeiro, do que em gerar atrito com o aliado Vagner Sales, antecessor de Cordeiro no cargo.

Rejeição

A informação partiu de uma fonte da coluna no município, segundo a qual uma pesquisa de interna do partido revelou que Ilderlei tem mais de 80% de rejeição entre os eleitores cruzeirenses.

Musculatura

Com a medida, Gladson certamente deverá fortalecer a candidatura indicada pelo ex-prefeito emedebista.

Sem indicativo

A Frente Popular do Acre segue sem indicar um nome para concorrer com as duas principais forças políticas do município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *