Aleluia!

Foto: Divulgação

Três pastores, líderes de congregações evangélicas, têm em comum o fato de ser dirigentes da Associação dos Missionários Evangélicos do Acre (Ameacre). Paulo Machado, Reginaldo Pereira e José Ildson – nomeados para ocupar cargos comissionados no governo do Estado e no Senado da República – são acusados por vários evangélicos de ‘vender’ a entidade para ocupar cargos políticos, segundo denúncia do site Yaco News, de Sena Madureira.

Interesses pessoais

De acordo com a denúncia, o trio teria feito reuniões durante as quais pediu apoio para o atual governo. “Pensei que era algo para o coletivo, mas vejo agora que os interesses individuais estavam acima de tudo”, lamentou um pastor, que pediu ao site para não ter o nome revelado.

Glória a Deus!

O único fato concreto da denúncia é que Paulo Machado e Reginaldo Pereira irão ganhar mais de R$ 7 mil, uma vez que que teriam sido nomeados para ocupar cargo em comissão de nível CEC-6 na administração estadual.

Chuva de bênçãos

José Ildson foi melhor abençoado. Receberá mais de R$ R$ 11 mil como assessor da senadora Mailza Gomes (PP) – que assumiu o mandato deixado pelo atual governador e correligionário Gladson Cameli.

Imagem e semelhança de Deus

Com o clima tenso no meio evangélico, Paulo Machado, presidente da Ameacre, escreveu carta para se defender das acusações, mas acabou por falar mais de suas supostas qualidades pessoais.

Pauta-bomba

Machado declarou, entre outras coisas, que não tem remuneração como pastor e presidente da entidade. Mas pelo visto, a carta não convenceu. Cerca de 20 pastores da Ameacre participariam de uma reunião extraordinária ontem (13) para tratar do assunto.

Na berlinda

O prefeito de Porto Acre, Bené Damasceno (Pros), é acusado de desviar mais de R$ 6 milhões dos cofres públicos, por meio de um esquema de fraude em licitações. O presidente da Câmara de Vereadores do município, José Felizardo, também do Pros, recebeu na manhã de ontem (13) um pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), com o objetivo de investigar a denúncia.

Subescritores

O requerimento com o pedido de CPI foi assinado pelos vereadores Célio Nogueira (PEN), Denis Sérgio Vale (PSD) e Gilberto Ribeiro (PV). O pedido agora deve ser encaminhado para debate em e apreciação dos parlamentares em plenário.

Suspeita

Um dos documentos que embasa o pedido de instalação da CPI é um contrato firmado com outro município do estado, em valor que ultrapassa R$ 4 milhões.

Limitação

Não obstante terem autonomia para instaurar Comissões Parlamentares de Inquérito, as Câmara Municipais, em razão de sua peculiar posição na federação brasileira, não têm poder para quebrar sigilo bancário ou fiscal dos investigados. Para isso, portanto, necessitam de autorização judicial.

De vota ao tribunal

Após ter condenação anulada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o vereador rio-branquense Carlos Juruna (PSL) passará por novo julgamento na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), marcado para esta quinta-feira (14). O parlamentar havia sido condenado a mais de nove anos de prisão pelos crimes de tráfico de influência e corrupção ativa.

Alegação da defesa

Segundo o advogado de Juruna, Valdir Perazzo, a decisão do TJAC foi anulada porque as teses da defesa não teriam sido examinadas pelos desembargadores acreanos. Com isso, o parlamentar deverá passar por novo julgamento.

Acusações

O vereador do PSL é acusado pelos crimes de peculato, tráfico de influência, corrupção ativa, falsificação de documento público e falsidade ideológica, segundo o Tribunal de Justiça do Acre. Ainda assim ele foi julgado por tráfico de influência e corrupção ativa.

Remember

Carlos Juruna chegou a ser preso e afastado das funções legislativas, mas após ser solto, voltou às atividades na Câmara Municipal de Rio Branco.

Presentinho

Quatro dias depois de criticar ministros, a comunicação do Planalto e o despreparo de parlamentares aliados, o deputado Pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) foi oficializado como um dos vice-líderes do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Congresso.

Acreanos no ringue

Foto: Divulgação

Também foram escalados para defender o governo nas sessões conjuntas do Senado e da Câmara os deputados Celso Russomanno (PRB-SP), José Rocha (PR-BA), Cláudio Cajado (PP-BA), Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC), Pedro Lupion (DEM-PR) e Bia Kicis (PSL-DF), além dos senadores Marcio Bittar (MDB-AC) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

Tá no Diário Oficial

As indicações dos vice-líderes no Congresso foram publicadas na edição da última terça-feira, 12, do Diário Oficial da União. Eles vão se juntar à deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso.

Fartura

Tarauacá já contabiliza pelo menos seis pré-candidatos a prefeito. Certamente é o município com o maior número de postulantes ao cargo até agora.

Lista ampla

Além da prefeita Marilete Vitorino (PSD), que já anunciou sua decisão de disputar a reeleição, estão no páreo o advogado Júnior Feitosa (ainda sem partido), o atual vice-prefeito de Tarauacá, Chico Batista (PP), a vereadora Janaína Furtado (Rede), o ex-vice-prefeito Chagas Batista (PCdoB), o ex-prefeito Rodrigo Damasceno (eleito pelo PT e agora sem partido) e também web-repórter Chiquinho R7. A candidatura deste último, no entanto, não deve ser levado tão a sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *