Acre reduz em 60% casos de malária em novembro

O balanço dos casos de malária divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) aponta para uma redução considerável da doença em novembro em todo o estado.

Foto: Arquivo

No comparativo com o mesmo mês de 2017, a redução chega a 60%. Este ano, foram registrados durante o mês de novembro 1.739 casos da doença contra 4.297 no ano anterior.

“São mais de 2,5 mil pessoas doentes no estado. Estamos muito felizes porque estamos nos esforçando para reduzir, mas, realmente, o número é bem surpreendente”, afirma Marília Carvalho, gerente do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Controle de Endemias, da Sesacre.

A redução significativa faz com que o Acre supere a meta de diminuição dos casos de malária estipulada pelo Ministério da Saúde, que é de 20%. Agora, com os resultados de novembro, no acumulado dos 11 meses de 2018, o estado reduziu a doença em 24,8%.

“Desde 2015 não tínhamos uma redução tão expressiva. Estamos empolgados. Tenho falado com os municípios que podemos fechar dezembro com redução de 30%, o que seria maravilhoso”, destaca Marília.

A redução acontece em todo o estado, mas principalmente nos municípios do Juruá, que concentra cerca de 80 da malária no Acre. Em novembro, Cruzeiro do Sul diminuiu 62,7%, Mâncio Lima, 58% e Rodrigues Alves fecha a redução com 50% de casos a menos.

Mosquiteiros

A tendência é de que as notificações de malária sigam reduzindo nos próximos meses. É que, como parte da estratégia de combate à doença, no início de janeiro moradores do Vale do Juruá, principalmente das áreas rurais e ribeirinhas, começam a receber os mosquiteiros impregnados de inseticida.

No total, serão distribuídos 35 mil mosquiteiros. Desse total, 18 mil já estão em Cruzeiro do Sul.

“Agora as prefeituras estão na fase de seleção das famílias que vão receber. Os critérios de prioridade são morar na zona rural e na beira dos rios e também aquelas pessoas que moram em áreas de maior incidência da doença. Essa distribuição vai ajudar a reduzir ainda mais os casos de malária”, afirma Marília Carvalho.

A previsão para a distribuição dos mosquiteiros é no início do próximo mês.

Assessoria Sesacre