A Vale dos horrores

Foto: Reprodução

Por Jânio Mário Pereira dos Santos (*)

Quanto vale a Vale?

Isso eu não saberia dizer, mas sei o quanto vale a vida de quem apenas queria viver.

Os políticos não conseguem sequer compreender se o que mais vale é a Vale ou se o que mais vale é viver.

Um grande lamento, mortes prenunciadas, uma terrível e gigantesca lama, hoje em Brumadinho, ontem em Mariana.

O povo sem esperança não sabe a quem recorrer e para amanhã outras incontáveis barragens apenas aguardam para o morro descer.

Apenas com a caneta, os poderosos não conseguem o povo de lá tirar, a lama vinda de cima expulsa-os das minas abrindo espaço para explorar.

E o ciclo continua, matando os rios, pessoas e árvores, para outras novas barragens poderem implantar.

Quanto vale a Vale? Isso eu não saberia dizer, mas sei o quanto vale a vida de quem apenas queria ter o direito de viver.

(*) Jânio Mário Pereira dos Santos – Advogado e Auditor de Controle Externo do TCE/AC